Blogroll

Blogger news

Blogger templates

Blogger templates

Tecnologia do Blogger.

Nav2 (Do not Edit Here)

Nav1 (Do not Edit Here)

Slider(Do Not Edit Here!)

Livros Infinita - Entrevista com FELIPE SALI

Livros Infinita
Entrevista com FELIPE SALI
Autor: Brunno Quaresma
Olá Infiniteiros! Hoje teremos mais uma Entrevista com Autor/Escritor 
(se você quiser conferir as anteriores, elas estão aqui 
Entrevista: C.S.Camargo Entrevista: Autora da Saga Condenados).


Eu vou cuidar da de hoje "pessoalmente" ;D 
Como o entrevistado é um antigo camarada, é justo, não é mesmo?
Mas fiquem calmos que nossa querida Nikki Merin está ótima!

O Felipe Sali está mandando muito bem na plataforma Wattpad de leitura online como um verdadeiro Autor Revelação Independente, inclusive atraindo boas atenções, mas ainda seguindo na árdua e já conhecida jornada independente rumo a uma editora para publicação física.


Sem mais delongas, vamos à entrevista!


Brunno: Olá Sali, seja bem vindo. Por favor, conte um pouco sobre você.

Sali: Olá! Que pergunta difícil! Eu sou um escritor de 23 anos de idade que também trabalha como jornalista. Gosto de ler, tomar café e assistir filmes.

Brunno: Tinha o interesse de ser escritor desde criança ou surgiu com o tempo?

Sali: Desde criança. Nasceu comigo.

Brunno: Quantos livros você já concluiu? Conta um pouco sobre eles.

Sali: Concluídos devem ser uns oito. Apenas dois eu considerei bons o suficiente para levar ao público. Eles são o “IckPerspectiva" e o “Mais leve que o ar”, ambos disponíveis no Wattpad.

Brunno: Ah! Então você também é “perfeccionista”? Ou digamos... exigente? Te entendo... haha.

Sali: Trabalhar com livros já é bem difícil no Brasil. Ser o mais criterioso o possível com o seu trabalho não é só uma opção, mas também um requisito básico para sobrevivência.

Brunno: Perfeito! E como funciona essa plataforma Wattpad?

Sali: Wattpad funciona como um YouTube de livros. É uma plataforma eficaz e funcional onde o autor pode organizar os seus textos e expor uma maneira agradável para o leitor, que ganha uma infinidade de livros grátis, assim.
Sou um grande entusiasta do Wattpad. Tanto que, esse ano, fui convidado a me tornar um dos embaixadores do site no Brasil.

Brunno: Isso é muito legal. Acho que cheguei a te parabenizar na ocasião, mas de qualquer forma, parabéns!

Sali: Muito obrigado, Brunno. =)

Brunno: Então você está com ótimos resultados na plataforma, correto? Evidentemente isso vem devido a talento, mas o que você citaria como meios que te ajudaram e te ajudam?

Sali: Sim. Periodicidade, responder sempre os leitores e saber divulgar foram algumas das coisas que me ajudaram.

Brunno: E como você realizou a sua divulgação no início? Como ela está acontecendo hoje?

Sali: Ainda é bem parecido. Uso muito as minhas redes sociais, divulgo em grupos específicos do Wattpad e realizo ações junto aos meus leitores. Hoje em dia, posso contar com eles para me ajudarem na divulgação. Também participo de eventos e dou palestras, como qualquer escritor.

Brunno: Agora isso nos direciona para um assunto mais denso, mas extremamente importante: Editoras de Livros.
Escritores independentes trabalham bastante para conseguir a aprovação e o apoio de uma editora que publique um de seus livros sequer e apenas uma minoria consegue algo, mesmo existindo muita gente talentosa.
Primeiramente, o que tem a comentar sobre tudo isso de uma forma geral?

Sali: É legal ter um espaço para falar sobre isso. Muitos blogs têm me usado como um bode expiatório para exemplificar como as editoras estão “desconectadas com o leitor padrão” ou “não dão valor ao autor nacional”. Não acho que isso seja totalmente verdade.
          Não temos muitas editoras no Brasil. Elas realmente não conseguem atender a demanda de gente talentosa e promissora no País. Uma editora comum recebe cerca de 100 originais para analisar por mês. É muita coisa.
          Não vou culpar as editoras por não ter sido publicado ainda. É uma pena, mas é verdade.

Brunno: O que pensa sobre a enorme facilidade de uma pessoa que seja "conhecida", "artista" ou "celebridade" em conseguir publicar livros por editoras grandes, mesmo não sendo uma pessoa que tem o sonho de escrever um livro e que não teve nem metade do esforço que um escritor independente tem para conseguir isso? 

Sali: É natural. Uma celebridade tem mais chances de vender que um desconhecido. Sei de autores menores que só tiveram os seus livros publicados porque uma editora conseguiu fazer um bom giro de caixa publicando uma celebridade. Então, é válido.

Brunno: Então você continua se esforçando bastante para alcançar esse objetivo/sonho.

Sali: Sim.

Brunno: Gostei da sua opinião e da sua maturidade sobre o assunto e sobre os fatos. Nossa intenção é realmente mostrar seu pensamento e deixar isso claro.
Você está em uma jornada difícil, mas com talento e perseverança se alcança o objetivo. Nós do Revista INFINITA apoiamos e acreditamos nos escritores independentes que batalham pelos seus sonhos. Por favor, assim que conseguir sua editora venha nos avisar! E quando publicar um livro novo no Wattpad também, é claro!

Sali: Obrigado, amigos. Certamente avisarei!


Brunno: Quais seus escritores/poetas preferidos? E qual foi o melhor livro que você já leu?

Sali: Melhor livro é uma pergunta meio impossível de responder. Eu costumo dizer que é “Dom Casmurro”, mas não tenho certeza.
         Eu sou fã do Machado De Assis, Pablo Neruda, Salinger, Clarice, Bukowski, Pedro Bandeira. A lista é enorme.

Brunno: Além dos escritores, o que mais te inspira?

Sali: Muitas das minhas ideias surgem durante conversas. Gosto de ouvir as histórias das pessoas.

Brunno: Como é a sensação de ter leitores que amam o que você faz e escreve? O que isso significa pra você?

Sali: Tudo. Certamente eles são a principal razão pela qual eu ainda não desisti. Ter leitores como eles me faz querer ser uma pessoa e um escritor melhor.

Brunno: Pessoalmente, fiz questão de ler seus livros para realizar essa entrevista com você. Por isso agora farei perguntas mais direcionadas.


PERGUNTAS ESPECÍFICAS SOBRE OS LIVROS ICK PERSPECTIVA E MAIS LEVE QUE O AR


Brunno: Ick na verdade se chama Ícaro (de Icarus), uma referência da mitologia grega. É um antigo interesse seu ou foi apenas uma referência para essa ocasião? 

Sali: Todo tipo de mitologia me interessa muito. A história de Icarus representa muita coisa, por isso me chamou a atenção.

Brunno: Adorei o estilo de finalizar os capítulos em um momento crítico, aumentando a curiosidade para ler o próximo, além do tamanho dos capítulos serem curtos e apropriados. Esses finais críticos que aumentam a curiosidade para o próximo capítulo me lembram um pouco episódios de animes! Você usou isso como referência ou alguma outra coisa?

Sali: A nossa geração meio que cresceu com esses formatos, né? Animes, séries, novelas, revistas em quadrinhos, todos usam desse artificio para prender o público. Foi algo natural.


Brunno: A maioria das pessoas aceitaram (compreenderam) bem o final da história?

Sali: Bem melhor do que eu imaginei que seria. Não recebi uma única mensagem me xingando pelo o que escrevi. Às vezes até eu me surpreendo com a maturidade do meu público.

Brunno: Tem algo de você no Ick ou em algum outro personagem seu?

Sali: Muito. Ick e o Pablo (de outro livro) são personagens deliberadamente inspirados em mim.

Brunno: Que legal!



Brunno: Li que Pablo teve uma inspiração em Santos Dumont, como uma homenagem. Você já tinha apreciação por Dumont antes de pensar no livro? Como foi exatamente essa pesquisa sobre Dumont? Quais características específicas de Pablo você pode citar que veio dessa inspiração e homenagem?

Sali: Eu queria escrever um livro que brincasse com personagens históricos do Brasil e o Santos Dumont é incrível, é o personagem do nosso folclore que eu mais admiro.
         Uma vez, li uma reportagem que explicava como a vida amorosa do Santos Dumont foi afetada pela sua obsessão em criar um avião. Me identifiquei, pois a minha também recebe duras surras por conta da minha fixação por escrever.
         Pablo acabou sendo uma mistura de Santos Dumont e eu.
         Pesquisar sobre ele foi divertido. Encontrei diversas cartas que ele mesmo escreveu, então pude conhecê-lo mais intimamente. Não existe muito material sobre ele nos Estados Unidos (onde insistem em não assumir o fato de que o inventor do avião não foi um norte-americano), mas encontrei muito material em francês sobre seus feitos.
         Até hoje tenho uma pilha de livros sobre ele.

Brunno: Que demais, deve ter sido realmente divertido e interessante.

Brunno: Foi difícil escrever narrando como Melissa - um personagem feminino?

Sali: No começo foi, mas depois fluiu. Eu cresci cercado por tias e primas, tenho muitas amigas, a mulher não é um bicho de sete cabeças para mim.
         Muito cedo eu entendi que os sentimentos da mulher são exatamente iguais aos dos homens, só que sinceros.
  
Brunno: Boa conclusão!


Brunno: Além de Santos Dumont, quais outra inspirações existiram para a história? Filmes, Desenhos, Séries?

Sali: Foram muitas. Além de histórias pessoais, outros elementos da história do Brasil e diversos livros. Uma coisa que NINGUÉM entende quando digo é que boa parte das ideias do livro surgiram depois que li um arco dos anos 60 do Homem Aranha chamado “A morte da Gwen Stacey”.

Brunno: Já pensou em escrever uma outra história, mas desta vez com o filho de Pablo?

Sali: Pedem muito. Não parei para pensar nisso ainda.

Brunno: Está certo! De qualquer forma, com certeza ainda virá muita coisa boa de você e que a galera vai curtir bastante.
Eu e o Revista INFINITA agradecemos pela entrevista, Felipe! Força aí, parceiro!Sucesso e Tamo Junto!

Sali: Obrigado pelo bate papo, pessoal. E parabéns pelo Revista INFINITA, vocês estão realizando um trabalho incrível!

Compartilhar no Google+
    Deixe seu Comentário
    Comentários Blogger

0 comentarios:

Postar um comentário