Blogroll

Blogger news

Blogger templates

Blogger templates

Tecnologia do Blogger.

Nav2 (Do not Edit Here)

Nav1 (Do not Edit Here)

Slider(Do Not Edit Here!)

Livros Infinita - Entrevista com C. S. CAMARGO

Livros Infinita
Entrevista com C. S. CAMARGO
Autora: Nikki Merin

Olá queridos leitores, vamos à entrevista que eu prometi. A minha convidada de hoje é a autora Carol Camargo, ou C. S. Camargo como assina em seus livros. Espero que gostem da entrevista e procurem prestigiar o trabalho dessa autora brasileira.

Nikki: Olá C.S. Camargo, seja bem vinda. Por favor, se apresente para os nossos leitores.

C.S. Camargo: Olá!! Me chamo Caroline, tenho 25 anos e moro no RS. Sou formada em turismo e comecei a escrever ainda na adolescência e não consegui parar desde então. Comecei a trabalhar no meu primeiro livro – O Medalhão de Ísis em 2010 e o finalizei final do ano passado. Adoro música, livros, café e coisas antigas (risos).


Nikki: Você escreve duas Sagas paralelas, correto? Conte-nos sobre elas.

C.S: Isso! Trabalho em uma trilogia – O Medalhão de Ísis e uma saga – Guardiões de Aldore.
O medalhão de Ísis, que iniciei lá em 2010, é sobre uma princesa e um guerreiro – Ahlam e Faris, que acabam se encontrando devido a uma disputa entre três reinos da Arábia por um antigo artefato da deusa egípcia Ísis. A trama ocorre em meados do século IV na Arábia e Egito e conta com muitos mitos antigos dos locais.
Já a saga dos Guardiões de Aldore acontece no presente e é sobre uma menina – Eduarda, formada em História que vai passar as férias no país de origem da sua família, a Irlanda. Lá ela acaba encontrando o Aiden, que é um dos guardiões. Ela acaba se deparando com várias revelações sobre o passado da família dela e principalmente sobre a morte dos pais, assim como a verdade sobre os círculos de pedra que estão espalhados pela Irlanda. Envolve cultura celta e suas lendas.

Nikki: O Medalhão de Ísis é uma história fascinante, com um enredo detalhado e muito bem escrito. Percebe-se que você fez diversas pesquisas sobre mitologia e outras coisas a mais. Como você fez essa pesquisa? Quais livros você leu?

C.S: Eu sempre tive um fascínio muito grande sobre o Egito e toda a cultura árabe. Então sempre acabei juntando muito material sobre o assunto. Tenho muitos livros e artigos, assim como fotos e até mesmo música. Sou uma viciada (risos).
Quando decidi começar o livro, fui ler e procurar por mais materiais. Li muita coisa; guias, analisei mapas, revistas, livros históricos, o Livro dos Mortos egípcio, As Mil E Uma Noites e demais livros que falassem dos mitos antigos árabes. Não quis escrever sobre as lendas que são mais conhecidas. Minha intenção não era usar somente os deuses egípcios, mas principalmente as demais criaturas que compõe a crença árabe na era pagã.

Nikki: Enquanto em O Medalhão de Isis temos mitologia e misticismo, em Os Guardiões de Aldore temos fantasias e lendas. Qual te deu mais trabalho para escrever? E você tem um favorito?

C.S: Sem dúvidas o que mais deu e ainda dá trabalho é O Medalhão de Ísis, pois preciso ter muito cuidado com o que vou falar devido à época em que a trama ocorre. Não posso citar que aconteceu uma guerra real, por exemplo, se a mesma aconteceu depois do século IV, ou antes.
Eu gosto de ambas as sagas. Os Guardiões me dá muita liberdade de escrever e realmente viajar nas idéias com fadas e duendes (risos), mas por outro lado O Medalhão é o meu xodó, pois foram os primeiros que criei para virar livro.

Nikki: Explique essa, digamos, pequena aversão por ruivos. (risos)

C.S: (Rindo muito) Vou acabar apanhando dos ruivos! Não digo que seja uma aversão, pois fui criada brincando com minhas vizinhas que eram ruivas, mas assim como a personagem do livro dos Guardiões, eu realmente acho que as crianças ruivas e principalmente os meninos são muito agitados e bagunceiros. Eles têm muita energia! (risos) Mas eu acho a cor do cabelo e demais características dos ruivos muito bonitas!

Obs: Acabei de lembrar que nosso boss é ruivo. (risos)

Nikki: Autores têm diversas manias na hora de escrever suas histórias. Como é seu momento de criação? Tem alguma mania ou ritual que possa nos contar?

C.S: Sim! Geralmente quando vou escrever eu me isolo do resto da casa. Fico no quarto, com uma grande caneca de café e ouço música. Eu tenho algumas músicas específicas e até playlist para cada livro. Então na hora de escrever coloco os fones, bebo café e escrevo.

Nikki: O que é mais difícil para nós escritores brasileiros no mercado literário?

C.S: Poderia ficar listando todas as dificuldades que temos aqui (risos), mas creio que seja quanto à publicação. As editoras raramente contratam autores nacionais e dão todo o apoio que é dado às obras internacionais. Os autores precisam ir atrás de tudo; escrever, diagramar, editar artes, divulgar, etc. Outro ponto que prejudica é o preconceito literário da maioria dos leitores brasileiros. Muita gente não lê o livro quando descobre que o mesmo é de um autor brasileiro, o que é uma pena, pois temos obras incríveis que não deixam nada a desejar. Mas acredito que isso está mudando aos poucos.

Nikki: Pretende publicar seus livros em alguma editora? Está procurando por isso, ou está por conta própria mesmo?

C.S: No momento eu estou divulgando as obras e focando numa publicação independente para aqueles que quiserem ter um exemplar do Medalhão em mãos. Daqui a algumas semanas o primeiro livro da trilogia será disponibilizado em versão física pelo Clube de Autores, mas não vou desistir de tentar em uma editora, vou continuar divulgando e enviando os manuscritos. Se me chamarem, ótimo! Se não, vou continuar meu trabalho até que ele desperte interesse em alguma editora.

Nikki: O melhor de ser um autor da net é a aproximação dos escritores com o seu público. O que você acha de mais positivo nessa sua relação com os seus leitores? E os negativos?

C.S: Eu acho essa relação muito boa e produtiva. Eu adoro quando elogiam o texto e os meus personagens, mas o que realmente me deixa ainda mais feliz é quando surgem perguntas e teorias. Isso me ajuda muito a ir trabalhando em cima do enredo, os leitores contribuem muito com suas teorias de conspiração e perguntas. É muito gratificante poder estar esclarecendo e conversando sobre algo que trabalho desde 2010. Já o lado negativo, acredito que seja quando o leitor, sem ler, compara o seu trabalho com o de outro autor. Isso é muito chato e às vezes até constrangedor e irritante. As pessoas precisam ler para assim dar uma opinião final e concreta sobre o que está falando.

Nikki: Sempre tem algum leitor que compara Sagas, mesmo não tendo uma nada a ver com a outra. Você já passou por alguma situação difícil com as pessoas que acompanham seu trabalho?

C.S: Sim e creio que não será a primeira vez, já que vários autores trabalham com o Egito. Por incrível que pareça, já compararam o Medalhão com a saga da Colleen Houck – A maldição do tigre, que não tem muito a ver com o que é abordado no meu livro, a não ser o uso de um medalhão e deuses. (risos) Mas isso são coisas que todo autor vai passar um dia.

Nikki: Qual sua dica especial para quem quer se tornar um escritor?

C.S: Disciplina e perseverança. Acho que esses são dois fatores essenciais. Vejo muita gente escrevendo e querendo ser autor, mas sem nenhuma disciplina de escrita. Não adianta começar um texto e quando as idéias acabarem, desistir e iniciar outro. O escrever bem, só vem com treino. Não se deve desistir no primeiro bloqueio, leve o tempo que levar, mas não desista do texto. Se a história for boa e bem trabalhada, vai fazer sucesso e cair no gosto dos leitores.

Nikki: Quais são os seus autores favoritos?

C.S: Eu tenho uma queda pelos antigos autores. Adoro uma “velharia” (risos), sempre li muito Shakespeare, Dante, Machado de Assis, Jane Austen... Atualmente tenho lido bastante os livros do autor Sylvain Reynard. Acho o trabalho dele muito cuidadoso e bem escrito. Outros autores que gosto muito são Neil Gaiman, Bernard Cornwell, Anne Rice, Marion Zimmer Bradley e George R. R. Martin.
Nikki: Seus livros favoritos?

C.S: As Brumas de Avalon, Orgulho e Preconceito, Jane Eyre, O Fantasma da Ópera, O Poderoso Chefão, Dom Casmurro e o Grande Gatsby. (Só alguns de uma lista sem fim)

Nikki: Obrigada pela sua participação Carol, fiquei muito feliz em entrevistá-la. Por fim, deixe um recado para suas fãs.

C.S: Eu que agradeço pelo espaço para poder falar sobre os meus livros! Gostaria de agradecer a todos os leitores que vêm pedindo o ebook, elogiando e ajudando na divulgação. Muito obrigada! Nada mais gratificante do que saber que meus “filhos” estão caindo no gosto de vocês. Espero poder continuar com um bom trabalho e que todos os acompanhem em sua jornada pela Irlanda e Egito! Obrigada e beijos a todos.



Se você se interessou pelo trabalho da Carol, que tal conferir os livros dela. Vou deixar os links dos dois para vocês meus amados leitores.

O Medalhão de Ísis:





Os Guardiões de Aldore:






Autora: Nikki Merin
Compartilhar no Google+
    Deixe seu Comentário
    Comentários Blogger

0 comentarios:

Postar um comentário