Blogroll

Blogger news

Blogger templates

Blogger templates

Tecnologia do Blogger.

Nav2 (Do not Edit Here)

Nav1 (Do not Edit Here)

Slider(Do Not Edit Here!)

Livros Infinita - A vida em tons de cinza – Ruta Sepetys

LIVROS INFINITA
A vida em tons de cinza – Ruta Sepetys
Autora: Nikki Merin

Ruta Sepetys nos traz em, ‘A vida em tons de cinza’, uma história de amor sem igual. É aquele livro que você ama odiar, ou odeia amar, pois mostra tudo o que o ser humano é capaz de fazer para machucar alguém e tirar sua dignidade das formas mais sórdidas, mas esse alguém não deixa que mudem o que ele é.
O cenário principal da história é a anexação da Letônia, Lituânia e Estônia, ou seja, os países bálticos, ao território da URSS, no regime de Josef Stalin. Várias pessoas foram deportadas e obrigadas a viverem nos campos e em gulags. O mais chocante é que um terço do povo báltico foi exterminado sem que o mundo soubesse disso. Por mais de 50 anos, as pessoas que sobreviveram a esse massacre, não puderam falar nada do que havia acontecido. Elas eram juradas de morte e de repressões fortíssimas, e até de voltarem para o Ártico. Os relatos só foram possíveis depois que os países bálticos conseguiram sua independência. 
As pessoas construíram cápsulas do tempo, para que essas memórias nunca fossem esquecidas, e para que algum dia, alguém que as desenterrassem pudessem saber o que tinha acontecido, e assim, fazer com que nunca mais isso acontecesse de novo com povo algum.



A protagonista é Lina, uma menina de 15 anos, extremamente talentosa, e que usa a sua arte como um modo de se comunicar e mandar mensagens para o pai, para que este encontrasse a família.

Em nenhum momento ela desiste da sua vida e da sua dignidade, lutando diariamente pela sobrevivência, sem dar seu medo ao inimigo. Uma menina que nos traz valores e princípios, além do fundamental, o amor.
O livro é recheado de personagens interessantes, como Jonas, o irmão caçula sensível que se vê obrigado a crescer rápido demais. Elena, a mãe que a todo o momento não perde a esperança e a compaixão, que faz tudo o que pode, e até o que não pode, para ajudar os outros. Andrius, um garoto determinado, esperto, protetor, e que se apaixona por Lina no meio daquele caos. Nikolai, que apesar de estar do lado opressor, é outra vítima dessa guerra silenciada. Todos os personagens desse livro são tão reais, e podemos imaginar o quanto existe de histórias iguais a essa, pessoas que sofreram a mesma coisa que os personagens desse livro. Não vou falar muito dos personagens, porque senão estrago as surpresas do livro.
O desfecho da história é tão fantástico, tão bem escrito, que me impressionou. É o tipo de final de livro que me atrai, que me instiga. Enfim, o livro é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O.


Para o primeiro livro da autora, ela superou, e muito, as minhas expectativas. Eu esperava uma história brutal, de horror e sofrimento, e não da forma poética e sem pieguices como ela abordou o assunto. Só a capa do livro é de uma sensibilidade e de significados imensuráveis. Confesso, que o que me chamou atenção para ler a resenha desse livro foi a capa, e quando enfim li a sinopse tive que compra-lo.
Ruta já virou uma das minhas escritoras prediletas, apesar de ter apenas escrito só esse livro. Mas só de escrevê-lo, ela se tornou a melhor escritora da atualidade, em minha opinião, claro.
Outra nuance que achei importante no livro, são as lembranças ao longo dos capítulos. No final do livro é que vamos entender várias delas.
E as menções dos quadros de Munch, que é o artista favorito de Lina. Eu, particularmente, amo Munch, e ele combina muito com a história. Uma coisa que fiquei não digo decepcionada, pois nada me decepcionou nesse livro, mas sim que eu queria ilustrações. Tanto das obras de Munch, como as de Lina. Se eu já fiquei encantada com as descrições incríveis e detalhada que a autora nos dá sobre os desenhos, imagina vislumbrá-las.
Bom, realmente é um livro que você deve ter na sua estante, para a todo o momento relê-lo. Está é a dica da semana, boa leitura minhas kkoch.

ALGUMAS CITAÇÕES DO LIVRO


"- escutem. - adverti - São os homens.
O som foi ficando mais e mais alto. Eles estavam cantando a plenos pulmões. Andrius juntou-se a cantoria e então meu irmão e o homem grisalho o imitaram. Por fim, o careca também começou a cantar. Eles entoavam nosso hino nacional. Lituânia, terra de heróis...
Comecei a chorar."

"Você algum dia já pensaram em quanto vale a vida de uma pessoa? Naquela manhã, a vida do meu irmão custou um relógio de bolso."

"- DAVAi! - um agente da NKVD agarrou Jonas pelo ombro e começou a arrastá-lo para longe.
- Não! - berrou mamãe.
Eles estavam levando Jonas embora. Meu lindo e adorável irmão, que espantava insetos para fora de casa em vez de pisar neles. Que havia cedido sua pequena régua escolar para imobilizar a perna de um velho ranzinza."

"Não pediram nada em troca. ficaram felizes em ajudar alguém, em conseguir realizar alguma coisa, mesmo que não fosse tirar nenhum proveito disso. Nós estávamos no fundo do oceano, mas ainda assim tentávamos alcançar o céu. Percebi que, se erguêssemos uns aos outros, talvez conseguíssemos chegar um pouco mais perto."
"O rosto de cada um mostrava seu futuro. Vi coragem, raiva, medo incompreensão. em alguns só havia desespero. esses já tinham desistidos da vida. Como seria a minha expressão?"

Autora: Nikki Merin
Compartilhar no Google+
    Deixe seu Comentário
    Comentários Blogger

0 comentarios:

Postar um comentário